Criada a Agência Metropolitana do Vale do Aço Enviar por e-mail  Imprimir esta notícia Receber por RSS
06/01/2012 08:35:34

Sancionada e publicada no Diário Oficial do Estado, Minas Gerais, nesta quinta-feira (5/1/12), a Lei Complementar 122, de 2012, que cria a Agência Metropolitana do Vale do Aço (Agência RMVA). A norma, que também altera a Lei Complementar (LC) 90, de 2006, que trata da Região Metropolitana do Vale do Aço, teve origem no Projeto de Lei Complementar (PLC) 18/11, de autoria do governador.

Com sede no município de Ipatinga, o campo de atuação da autarquia abrange a área dos municípios integrantes da RMVA (Coronel Fabriciano, Ipatinga, Santana do Paraíso e Timóteo) e do Colar Metropolitano, que passa a ter 24 municípios com a inclusão de Bom Jesus do Galho e Caratinga, por meio de modificação na legislação complementar.

A Agência RMVA terá a função de planejar e executar funções de interesse comum dos municípios do Vale do Aço, como saneamento básico, drenagem de águas pluviais e aproveitamento dos recursos hídricos. Com personalidade jurídica de direito público, autonomia administrativa e financeira e prazo de duração indeterminado, a agência será vinculada ao gabinete do Secretário de Estado Extraordinário de Gestão Metropolitana. Para seu funcionamento, a nova regra autoriza a criação de cinco cargos de direção, 21 cargos de assessoramento, nove funções gratificadas e quatro gratificações temporárias estratégicas.

Veto parcial – Durante a tramitação na Assembleia Legislativa de Minas Gerais este ano, o PLC 18/11 recebeu emenda, do deputado Gustavo Valadares (DEM), que acrescentava, entre as competências da RMVA, planejar, coordenar, controlar, regular, fiscalizar, monitorar e avaliar as ações relativas a transporte na Região Metropolitana do Vale do Aço. No entanto, esse dispositivo da Proposição de Lei Complementar 128 (inciso XVIII, do artigo 3º) foi vetado pelo Executivo e será analisado pela ALMG a partir de fevereiro. Os parlamentares poderão manter ou rejeitar o veto.

Na justificativa que acompanha o veto parcial, o governador argumenta que o inciso XVIII do artigo 3º, proposto pelo parlamentar, que pretende atribuir à Agência RMVA as competências acima discriminadas, viola o disposto no inciso XIV do artigo 90, da Constituição do Estado, já que compete, privativamente, ao governador dispor, na forma da lei, sobre a organização e a atividade do Poder Executivo.

Além disso, o Governo de Minas esclarece que, mesmo que o assunto não fosse de sua competência, o dispositivo fere a reestruturação das administrações direta e indireta do Executivo, promovida pela Lei Delegada 180, de 2011, que contém norma incompatível com as competências da Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas.

O governador justifica o veto, ainda, pelo fato de essa competência, indicada pelo dispositivo suprimido, não ter sido atribuída à Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belo Horizonte (Agência RMBH), já existente. Se a RMVA tivesse essa atribuição, haveria um desequilíbrio no modelo institucional adotado até então para as agências.

Fonte: Assessoria de Imprensa/ALMG

Controle Conthabil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização.

 AO VIVO - As principais notícias da sua cidade
  23/07/15 - Receita Federal simplifica abertura e baixa de CNPJ
  28/05/15 - STF - Servidor público e divulgação de vencimentos
  20/03/14 - TCE disponibiliza portal de transparência para municípios mineiros
  13/09/13 - Capacitação aborda Planejamento e controle nos municípios
  04/09/13 - Fórum esclarece novas regras da contabilidade pública
 ARQUIVO - Acesse todas as notícias


,
Busca
Total de visitantes
3
3
4
4
0
1